minúcia

 de Pedro Gomes

minucioso e delicado gesto,

dedicado ao que não é visível

nem provavelmente será visto.

Gestos por si, de si, em si.

Quantos assim nos rodeiam…

Anúncios

Agosto 1, 2006 at 6:06 pm Deixe um comentário

flash # 44

Genève

O que mais gostei nela… foi que estivesse no meio de um parque central na cidade, gloriosamente descontraída, uma mão segurando a outra, a olhar para o lado … com um semisorriso de quem desfolha gratas memórias só por si conhecidas…

ao olhá-la, regressa-me aquela sensação de se reunirem o recato e a audácia, a serenidade e a determinação… ah! e a inveja também regressa…

Julho 30, 2006 at 9:27 pm 7 comentários

breve

mar.jpg

Mesmo em espaço aberto e profundo,

de horizonte indefinivel,

é possível traçar contornos.

Resta que se mantenha a incompletude… 

Julho 29, 2006 at 10:03 pm Deixe um comentário

metáfora musical

piano.jpg

…chega devagar, como um murmúrio, pianíssimo.

De adagio leve, de convidativo andamento.

Súbito, com staccato envolvente,

ressoa fortissimo apassionato.

Julho 29, 2006 at 9:53 pm 2 comentários

de escárnio e maldizer

desertimage_dang.jpg

Sei-te de Cor  

Sei de cor  –  cada traço  –  do teu rosto  –  do teu olhar.  –  Cada Sombra da tua voz.  –  E cada silêncio  –  cada gesto que tu fazes  –  Meu amor sei-te de cor  –  Sei  –  Cada capricho teu  –  E o que não dizes  –  Ou preferes calar.  –  Deixa-me adivinhar  –  não digas que o louco sou eu  –  se for tanto melhor  –  Amor sei-te de cor  –  Sei  –  Por que becos te escondes. –  Sei ao pormenor  –  o teu melhor e o pior.  –  Sei de ti mais do que queria  –  Numa palavra diria  –  Sei-te de cor

 Tive mesmo de ouvir a música, colocada por aceso entusiasmo e a querer-me convencer da musicalidade… Credo! Como é possível…. saber Outro de cor, se muitas vezes nem a si mesmo? E assumindo que é realmente presunção, é ainda um atentado à possibilidade do outro modificar-se, transformar-se…

Vamos aos «ses»: (1) se fosse literal, suponho que o amor estará a extinguir-se ou, pelo menos, o interesse. Ou o senso de descoberta em cada estar com Quem se ama. Até porque «sei mais de ti do que queria» pode ser corrosivo…  (2) se é metáfora, é das mais pobres que já li…mesmo que apenas para entreter, podia ser mais de desejo do que de acção – «queria saber-.te de cor» pelo menos, parece mais sensitivo.

Entretenimento e Música não dispensam de ser inteligente, pois não?!

Julho 27, 2006 at 10:44 pm 7 comentários

# 2 Cores: verde

a-window-in-the-green-world.jpg

Depois do azul,

 o verde é a cor da natureza, das árvores, dos campos e dos bosques. Assim como da Esperança. A energia do verde reflecte participação, adaptabilidade, generosidade e cooperação. É uma cor que facilita o raciocínio correcto e amplia a consciência e compreensão –  é a imagem da segurança e da protecção e cria um ambiente propício para tomar decisões.

O verde é a cor mais harmoniosa e calmante de todas. Simboliza vida nova, energia, fertilidade, crescimento.

Gosto de verdes…

Julho 27, 2006 at 10:52 am 13 comentários

de fugida

etude-pour-comparisions.jpg

*

Uma brisa insaciada:

sabe-me a agridoce

que salga a sede

e destempera a fome.

*

Um relanceio curioso desliza:

refulge em opalina imagem,

aguça o olhar

e ancora-se em querer ficar.

*

Julho 27, 2006 at 12:38 am 3 comentários

Artigos Mais Antigos Artigos mais recentes


No meio do molho de chaves

"Twenty years from now you will be more disappointed by the things that you didn't do than by the ones you did do. So throw off the bowlines. Sail away from the safe harbor. Catch the trade winds in your sails. Explore. Dream. Discover." Mark Twain
Outubro 2017
S T Q Q S S D
« Ago    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
"bastam dois espelhos opostos para construir um labirinto" afirma J.L.Borges. E cada um, em Si mesmo, é prismático o bastante para o labirinto ser da interioridade de cada um. Por isso, no Labirinto nos procuramos, e ainda que sem fios, dispondo de espelhos.

Artigos Recentes

Blog Stats

  • 27,721 hits