# 1 – Cores: o azul

Julho 16, 2006 at 6:59 pm 2 comentários

White dream

Mais uma série. Desta vez, dedicada às cores, pelo que têm de simbólico e (cromo)terapia.

Elementos essenciais nos tons azuis…

O mar, o céu, as profundezas, as águas, os sonhos!

O azul é uma cor associada ao dever, à beleza e à habilidade. Assinala a entrada nos domínios mais profundos do espírito… e uma das suas qualidades mais subtis é a aspiração.

A natureza da cor azul é procurar e buscar sem cessar.

Faz parte do espectro frio e a serenidade dessa cor traz consigo paz e confiança. A fluidez e força serena são traços atraentes, que promovem o entendimento entre as pessoas. Dizem ainda que favorece as atividades intelectuais e a meditação.

A mim, sereniza-me…

 

Entry filed under: cores. Tags: .

perplexidade e vertigem flash

2 comentários Add your own

  • 1. the postman  |  Julho 27, 2006 às 1:43 pm

    Do verde, cheguei aqui. Azul é a minha cor favorita com os tons que mais gosto, sejam vivos ou mais acinzentados.
    “A fluidez e força serena são traços atraentes (…)”
    A mim também me sereniza… Sinto-me perto do paraíso quando junto a uma frescura de verde olho um céu que não pode ser mais azul…

    Responder
  • 2. viajante  |  Julho 27, 2006 às 11:02 pm

    As séries são habitualmente de oito posts. É um costume antigo dos E&L, seguirem um tema e em oito entradas (porque oito é um infinito em pé, certo? risos….)
    As outras virão a seguir, paulatinamente…

    Azul é da água, da nossa humana ligação à água. Talvez por isso, tantos de nós gostamos de azul…🙂

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


No meio do molho de chaves

"Twenty years from now you will be more disappointed by the things that you didn't do than by the ones you did do. So throw off the bowlines. Sail away from the safe harbor. Catch the trade winds in your sails. Explore. Dream. Discover." Mark Twain
Julho 2006
M T W T F S S
    Ago »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
"bastam dois espelhos opostos para construir um labirinto" afirma J.L.Borges. E cada um, em Si mesmo, é prismático o bastante para o labirinto ser da interioridade de cada um. Por isso, no Labirinto nos procuramos, e ainda que sem fios, dispondo de espelhos.

Artigos Recentes

Blog Stats

  • 27,564 hits

%d bloggers like this: